domingo, 29 de agosto de 2010

Da solidão e da inversão .



Moro numa casa de primeiro andar. Hoje, na janela dela, passei a tarde a observar o movimento. Tarde de sábado, depois do feriado santo da sexta-feira. Parecia domingo. Vi pessoas passando e aquilo me deu uma tristeza profunda. As pessoas iam e voltavam sozinhas. Fiquei pensando na solidão de caminhar pelas ruas sem ninguém. Achei que todo mundo era muito triste. Em menos de um segundo, me toquei de onde vinha a verdadeira tristeza, pois era eu que a enxergava em todo lugar. Ninguém, além de mim, estava triste. Enquanto apontava nos outros a solidão estava eu, sozinha, na janela, naquela tarde de sábado.

5 << Comentário >>:

Ezequias disse...

sempre vendo o cotidiano com um olhar que não escapa nada, kkk, sempre tive essa senção, das pessoas estarem tristes. mas,vai ver se não é como você disse " Enquanto apontava nos outros a solidão estava eu, sozinha, na janela, naquela tarde de sábado". vou começar a olhar a tristeza por essa óptica. parabéns, continue escrevendo,você tem muito talento. abraços

Lucas Barreto disse...

escreve cada coisa .. (:

gosto muito
abraço.

Erique disse...

Todo mundo deveria parar e fazer uma reflexão sobre a vida. Porque as vezes a verdade está bem diante de nós e nem percebemos, e achamos que o que há de errado é sempre com as outras pessoas, quando na verdade somos nós mesmos o X do problema. Karol mais uma vez, parabéns pelo BLOG. :D

Lucas ALmeida disse...

A cada dia que passa sinto mais orgulho dessa minha namorada. O seu modo de enxergar o mundo está me ajudando a sarar a minha cegueira. Sinto que o que nos une possui forças grandiosas. Por isso e por muitos outros motivos digo: Euteamo...

Ludmila disse...

ai, arrasou! me arrepiei. parece que é crônico pintar o mundo de cinza quando estamos monocromáticas. essa última frase matou a pau... :))

Tecnologia do Blogger.
 
;