quarta-feira, 23 de maio de 2012

Vivit Sub Pectore Vulnus .

Treinei, com muita força, pra que nada de ruim acontecesse. Eu repeti pra mim, várias vezes, que tudo não passara de um pesadelo, ou um sonho (ainda não sei dizer). Me convenci e sobrevivi a tudo, estou aqui.   E aí eu leio um texto e me vem você. E aí tudo muda e o mundo se acaba mais uma vez. Eu poderia não ter lido e ter ignorado a semelhança, mas eu quis mais, eu fui além e vi que cada ponto e cada vírgula era eu e era você. Éramos nós ali, não sei como, mas habitávamos em cada linha e até nas entrelinhas daquela crônica. Nossa história foi escrita por um desconhecido, pois não tive condições de o fazer. Então eu me lembrei que te fiz acreditar que a distância nos faria bem, você acreditou e eu não. Você voltou a viver e eu não.

Vivit Sub Pectore Vulnus: A ferida ainda vive no coração

7 << Comentário >>:

DMAraújo disse...

Oi Karol,

Parabéns também pelo seu blog!!
O blog está muito bem feito e com belas palavras!
Como você deve ter percebido, sou novo em blogs... Apesar de já escrever ha algum tempo, resolvi criar como teste o blog um ou dois meses atrás, mas só comecei a postar e trabalhar nele mesmo semana passada, por isso ainda não está tão organizado. Mas assim que eu aprender bem os recursos dou uma melhorada no visual dele! :)
Já estou seguindo seu blog!
Fica com Deus!
Abç!

Carina Carvalho disse...

Que lindo, Karol!
Flor, cê tá bem?
:***
http://carinaconrado.blogspot.com

Karol Coêlho disse...

Tô ótima, Carina! :D

Fausta disse...

Se está bem, então está bom! :)

O texto, como sempre, lindíssimo e profundo.

Saudades!

Carina Carvalho disse...

Que bom :D

Erique Duarte disse...

Uau...

nemeuseidireito disse...

É dificil quando a gente se vê nas palavras dos outros, pelo menos lembra que amor não é tão diferente assim!

Belo texto

Tecnologia do Blogger.
 
;