terça-feira, 29 de maio de 2012

Morte | adiV .


Sinto cheiro de flor e terra. Busco respostas para a minha condição e logo encontro. De imediato recordo-me do medo que tinha de tudo isso. Na realidade sempre disfarcei bem o meu medo dando a ele o nome de pena. Era uma espécie de autopiedade por ter a certeza de ter ficado para trás. Os jornais sairão, a partir daqui, com conteúdos os quais jamais poderei saber. A juventude lançará novas manias que estarei impossibilitado de criticar. O mundo girando, novos poetas, novas músicas e eu aqui.

Sete palmos o separavam totalmente da realidade a que pertencia até ontem. Tentou se mover, mas tudo permaneceu estático. Sentiu-se morto, mas não estava. Ainda não.

3 << Comentário >>:

nemeuseidireito disse...

Vamos viver a vida ou deixar ela passa?


Excelente texto!

DMAraújo disse...

Lembrou-me Machado de Assis!! rsrs
A morte é apenas mais uma etapa... Na verdade ela faz parte do que chamamos vida!

Erique Duarte disse...

Todos sofremos desse mal de "autopiedade", há quem diga que se nós não tivermos pena de nós mesmos ninguém terá, pode ser esse o lado bom dessa autopiedade? Não sei, sei que o tempo passa e disso a gente não tem como fugir mas a gente pode ir vivendo cada dia e aproveitando ele como se fosse o último dia feliz de nossas vidas, as vezes faz parecer que o tempo passa mais rápido e as vezes que ele passa mais devagar só pra podermos aproveitar aquele instante que parece que vai ser o último. Entoces, viva la vida!!!

Tecnologia do Blogger.
 
;